terça-feira, 31 de maio de 2011

SDR confirma R$ 15 mil para Congresso de Meninos Cantores em Nova Erechim

A Secretaria de Desenvolvimento Regional de Chapecó confirmou a liberação de R$ 15 mil para a realização do Congresso Regional Sul de Meninos Cantores do Brasil em Nova Erechim de 28 a 31 de julho. A entrega simbólica dos recursos ocorreu na tarde desta segunda-feira, na Secretaria de Educação.

O vereador Valdecir Solivo (DEM) representou a secretaria regional na entrega. O ato teve a presença ainda da secretária de educação Tanara Zunkóswski, da diretora de cultura Rosani Franzon e do vereador Gilberto Bortese (PT).

O secretário de desenvolvimento regional, Eldimar Jagnow esteve em Nova Erechim no início do mês e se comprometeu em ajudar na realização do Congresso. O vereador Giba, ex-integrante do coral, comemorou a confirmação dos recursos. “É um grande incentivo que vai colaborar para a realização deste evento inédito em Nova Erechim. O Coral é um dos grande pilares da cultura e o Congresso virá para fortalecer ainda mais essa entidade.”

O projeto foi encaminhado em novembro de 2010 pelo Departamento de Cultura de Nova Erechim.

Giba quer mais policiais nas ruas de Nova Erechim

O plenário da câmara de vereadores de Nova Erechim apoiou o requerimento apresentado pelo vereador Gilberto Bortese (PT) na sessão desta segunda-feira, dia 30 de maio.
A proposição pede providências a Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina, no que diz respeito ao quadro de Policiais Militares no município.

Para Giba, o bom trabalho dos PMs está comprometido. “Não tem como um policial trabalhar sozinho, fazendo rondas, especialmente a noite, é muito perigoso. Nós queremos providências do Estado para reforçar o quadro de policiais e dar mais segurança à nossa comunidade”, discursou o Petista.

O requerimento foi aprovado por unanimidade e será também encaminhado a comissão de segurança da Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

O golpe dos empréstimos


Quem nunca pensou em fazer um empréstimo para livrar-se das contas do mês? O ato não é só pensado mas é feito por milhares de brasileiros que acabam pagando juros absurdos e se afundando ainda mais em dívidas. Tudo isso, por falsas promessas de empresas que dizem que vão solucionar seus problemas financeiros. As “vítimas” do momento são os aposentados e pensionistas.

E convenhamos, as expressões são tentadoras: “Aposentado, a diferença em fazer um empréstimo com a gente está no atendimento! Fale com a Empresa X e veja como é bom ser tratado com o respeito e a atenção que você merece”. São frases, textos que prometem reverter de vez o quadro financeiro do aposentado e da família. “Esta é uma modalidade de empréstimo destinado para aposentados e pensionistas do INSS, com taxa de juros mensal de 2,34% e prazos que vão até 60 meses! O pagamento das parcelas é realizado através de débito mensal (desconto) no próprio benefício. E além disso, não são realizadas consultas ao SPC ou Serasa e não são necessários avalistas ou comprovação de uso do dinheiro”. Tudo parece simples, de fácil acesso e sem burocracia mesmo.

Digamos que seja simples você conseguir um empréstimo, o problema, e perceber depois, que as taxas e juros aumentaram e que não adianta mais reclamar porque o negócio já está feito. É por isso que toda a atenção na hora de fazer o financiamento é necessária. Não pode-se ter preguiça de ler, especialmente aquelas letrinhas miúdas que estão bem abaixo das frases tentadoras. Geralmente, aí está o pepino.

Os bancos e financeiras escolheram essa classe de aposentados, porque os julgam como bons pagadores. Os aposentados acabam controlando mais a sua vida financeira e as vezes procuram realizar algum sonho que ainda não conseguiram ou até mesmo precisam comprar remédios caros. Aí, é preciso de um financiamento. O valor é descontado diretamente na folha de pagamento, portanto, os bancos não terão problemas para receber a parcela. O negócio é garantido, a inadimplência é baixíssima.

Essa história de crédito com facilidade, rápido e com juros baixos até existe. Mas com empresas de credibilidade. Como ocorre em vários segmentos, existem empresas falsas, manipuladoras de sonhos dos “velhinhos”. Pasmem: hoje no Brasil, as empresas estão apelando nas ruas. Abordam aposentados em suas caminhadas para oferecer financiamento. O pior é que para se fazer financiamento, é preciso pagar uma taxa de adesão e ainda deixar o número de CPF, RG e outros documentos. Se não é na rua, é por telefone que os golpistas tentam engrupir os aposentados.

O lado bom da história, é que o Ministério Público e a Polícia Civil vem desmantelando essas quadrilhas. De acordo com matéria publicada no dia 11 de maio, no Jornal de Londrina, a empresa VC Consultoria, por exemplo, com filiais no Paraná, Santa Catarina e Rio de Janeiro, foi fechada neste mês de maio durante a Operação Consignado, da Polícia Civil. Seis pessoas ligadas ao grupo foram presas suspeitas de fraudar empréstimos de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A estimativa é que os golpes tenham provocado um prejuízo de R$ 10 milhões.

Os esquemas são os que já citamos aqui. A empresa usava várias estratégias. Em alguns casos, a fraude começava com um telefonema. O interessando ligava para a VC Consultoria pedindo informações sobre empréstimo, mas mesmo sem autorização, a empresa efetuava o contrato. Quando a pessoa percebia os descontos sendo feitos em seu beneficio, procurava a empresa, mas eles persuadiam o cliente a ficar com o dinheiro, alegando que a devolução do valor iria demorar. E com isso a empresa recebia a comissão do empréstimo.

A empresa também fazia com que os clientes assinassem várias cópias de contrato em branco, que eram usadas mais tarde para realização de outros empréstimos sem o conhecimento do cliente. Em alguns casos as vítimas não se davam conta dos empréstimos, pois eram descontados em seus benefícios valores baixos. Nestes casos, além de receber o valor da comissão, a empresa se apropriava indevidamente dos valores dos empréstimos. Outro esquema nesse setor é que as quadrilhas arranjam forma de colocar o dinheiro na conta de laranjas e as prestações do empréstimo consignado no contracheque das inocentes pessoas.

Alguns casos são ainda piores. Os aposentados vão para o banco para retirar seus benefícios e são acompanhados por sujeitos. Ao sair da agência, os idosos são convencidos a entregar o cartão para os golpistas que retornam ao caixa eletrônico e efetuam um financiamento. Para piorar o caso, os cartões dos aposentados geralmente possuem a senha. No mês seguinte, a primeira parcela do financiamento chega descontada no benefício do aposentado sem ele receber a quantia.

Avisos e alertas sobre os problemas que um financiamento desse pode causar não faltam. Em 2008, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva já pedia para os aposentados tomarem cuidado. “Se a gente não tiver que por a mão no bolso para gastar dinheiro, nós gastaremos mais dinheiro que o normal. É por isso que peço o maior cuidado. As facilidades para obter o empréstimo são cada vez melhores, mas é preciso analisar bem as propostas”, disse o presidente.

Também em 2008, o Senador Mão Santa, usou a tribuna do Senado Federal para falar sobre esse problema financeiro que o Brasil está vivendo. “O velhinhos estão sendo escravos dos banqueiros. Os bancos estão mais ricos e os aposentados estão cada vez mais pobres. Os empresários estão se aproveitando das vistas cansadas dos velhinhos e “escondem” taxas e juros nos contratos que tem letras miúdas”, condenou o senador.
No mesmo ano, o Ministro da Previdência Luiz Marinho foi na mesma linha do presidente. “Vamos aumentar o alerta através da mídia para que todos tomem cuidado. O empréstimo é um bom produto, mas para aquelas pessoas que sabem usar.”

O bom produto citado pelo Ministro em 2008, é devido as taxas de juros serem bem menores que as do cheque especial e do cartão de crédito, por exemplo. Aliás, o Procom e o Ministério da Previdência sugerem aos aposentados e pensionistas que realizem os financiamentos consignados para saldar dívidas com o cartão e com o cheque especial. Porém, alguns alertas são importantes:
• o aposentado ou pensionista deve evitar atravessadores;
• é importante comparar a taxa de juros entre os bancos. O aposentado pode fazer o empréstimo num banco diferente daquele que recebe o benefício;
• alguns bancos possuem agentes financeiros autorizados a fazer o empréstimo, mas se certifique da identificação da pessoa;
• o empréstimo pode não ser aprovado se o aposentado já tiver outros descontos em seus rendimentos, tais como pensão alimentícia judicial ou imposto de renda.

A dica para não ter dor de cabeça no futuro, é buscar informações antes de assinar o contrato. O site www.previdencia.gov.br é uma boa fonte de informações. No portal, as pessoas vão ver quais são os bancos que tem convenio com o INSS e quais as suas reais taxas de juros. Se caso você sofrer um golpe a primeira medida a ser tomada é ir delegacia e registrar um boletim de ocorrência. Depois entrar com um processo na justiça para que os bens sejam ressarcidos.